Nosso escritório hoje é umas referências no mercado de proteção veicular em todo o Brasil, e diante disso temos os mais diversos tipos de clientes (Associações).

O tipo de cliente mais comum é aquele que se preocupa mais com o Associado do que com a própria Associação. Normalmente são Associações que possuem até 1500 itens na base e que, se não mudarem a forma de pensar, não irão durar muito tempo no mercado.

Você deve estar se perguntando: como assim se preocupam mais com o Associado do que com o próprio negócio?

Essas Associações não estão fazendo nada ilegal, mas também não seguem a risca o disposto em seu regulamento, este feito para ser a lei que regerá as relações com os Associados.

De novo vem a pergunta: Mas como assim?

Algumas Associações, seja por falta de experiência ou para se diferenciarem no mercado passam a se sujeitar a todo tipo de pedido por parte de Associados que, com uma simples ameaça (as vezes nem é preciso), tem todos os desejos atendidos.

Citaremos adiante duas práticas administrativas que devem ser repelidas a todo custo.

  1. PAGAMENTO DE EVENTOS (REPAROS E INDENIZAÇÕES) SEM ANÁLISE DOS FATOS E DOCUMENTOS

É muito comum os Diretores entregarem o departamento de sinistros nas mãos de pessoas inexperientes e, quando assustam, recebem enormes faturas de peças e indenizações para pagarem.

Para a Portes Advogados o dpto. de sinistro é o mais importante da Associação. É nele que fica o maior consumo financeiro e, consequentemente, a maior responsabilidade.

Se o seu responsável não analisa os fatos, documentos e sequer consulta o jurídico ELE NÃO SERVE PRA VOCÊ!

Às vezes você pode estar pagando conserto de veículos ou indenizações envoltas em obscuridades e possivelmente sendo vítima de fraude. Ou então pagamentos para Associados e/ou terceiros que possuem automóveis com inúmeras irregularidades que inclusive o proibiriam de transitar em vias públicas.

Em casos como pneus careca o custo de um laudo pericial feito por um competente perito é capaz de fazer você economizar R$10.000,00…R$20.000,00…às vezes até R$40.000,00.

Alguns clientes da Portes optam por nos contratar também para emitir um parecer jurídico sobre cada acidente que ocorre dentro da Associação, onde nossos Advogados e Consultores analisam as questões jurídicas para auxiliar a decisão de pagar ou não os eventos.

  1. NÃO OBSERVAÇÃO DOS PRAZOS PARA PAGAMENTO DE INDENIZAÇÕES OU REPARO DE VEÍCULOS

Como dissemos anteriormente, o Regulamento do programa de proteção veicular da Associação faz Lei entre as partes, e deve ser seguido sempre.

Já dissemos que algumas Associações, para tentarem se diferenciar da maioria, tentam efetuar o pagamento de indenizações ou fazerem o reparo de veículos em prazos ínfimos, e com isso trazem um desequilíbrio financeiro para as contas da Associação

Algumas pegam até empréstimos bancários para poderem arcar com o compromisso, esquecendo que os juros são abusivos e absurdos, não compensando no final.

Ora, se o regulamento permite que você tenha inicialmente um prazo para sindicância, e somente após seu transcurso inicia-se a contagem do prazo para pagamento de indenização ou reparo do veículo, USE-O.

Você consumir todo o prazo de sindicância e da indenização para pagar o Associado não é ilegal e nem é capaz de gerar condenações por danos morais, mas lembre-se, é preciso que isso esteja disciplinado no seu Regulamento.

POR FIM, SE VOCÊ TRABALHA NO DEPARTAMENTO DE SINISTROS LEMBRE-SE: QUEM PAGA SEU SALÁRIO É A ASSOCIAÇÃO, E SE ELA NÃO TIVER RECEITA, VOCÊ PROVAVELMENTE TERÁ QUE PROCURAR OUTRO EMPREGO EM BREVE.

Ficou com alguma dúvida? Envie um e-mail para contato@portesadvogados.com.br.

Quer saber como aperfeiçoar seu Regulamento e Estatuto para evitar fraudes e garantir os direitos de sua Associação? Podemos marcar uma reunião para você conhecer melhor nossa estrutura e as diretrizes que podemos implantar em seu negócio, tanto no âmbito jurídico, quanto no contábil. Para isso, entre em contato pelos telefones (31) 2536-1796 ou 2567-2797.